Pular para o conteúdo principal

Short-Course: Lobby Regulation and Political Ethics in Contemporary Government: Lessons from Experiences Around the Democratic World


Aberto para alunos de graduação e pós-graduação em Administração Pública e Governo da FGV/EAESP e público externo, o Centro de Estudos em Administração Pública e Governo (CEAPG) promove:

 

Mini-Curso:

Lobby Regulation and Political Ethics in Contemporary Government: Lessons from Experiences Around the Democratic World[1]

Professor Clive S. Thomas, Ph.D. Fellow no Thomas S. Foley Institute for Public Policy and Public Service,  Washington State University.

 

This short course will examine the strengths and weaknesses of interest group and lobby regulation in advancing political ethics and combating corruption in a country.  It will draw on lessons from around the democratic world including: the United States, Europe and Australia.  The course will provide an overview of the many choices that governments face in regulating lobbying.  The essence of the argument that will be presented is that lobby regulation is only one of several provisions that need to be in place to aid in advancing political ethics and public transparency.  The core of the argument presented, however, will be that laws and regulations must be based on a political culture foundation of the willingness to work to eliminate unethical and corrupt conduct.   

 

Data: 24/09 das 14:00h as 17:00h

Local: Fundação Getúlio Vargas – EAESP - Av. Nove de Julho, 2029 – sala 806

Inscrições até 22/09: enviar e-mail para giovanna.lima@gvmail.br com nome completo e RG.



[1] O mini-curso será ministrado em inglês e não haverá tradução simultânea.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quais habilidades o profissional de relações governamentais deve aprimorar para melhorar a sua performance?

Katz[1], classifica as habilidades necessárias a um profissional de gestão em três grupos principais: habilidade técnica, humana e conceitual. Essa tipologia nos será útil para entender quais desses grupos de habilidades são mais importantes para profissionais que, como você, exercem a atividade de relações governamentais. Vamos iniciar pelas habilidades técnicas, o grupo menos complexo, segundo Katz. Apesar de essenciais, as habilidades técnicas são menos complexas, pois podem ser desenvolvidas mais facilmente, bastando ao profissional adquirir conhecimentos, métodos e aprender a utilizar os equipamentos necessários para a realização de suas tarefas. Obter ou aprimorar conhecimentos sobre políticas públicas setoriais, processo decisório, processo legislativo, negociação e argumentação são um grande diferencial para esse profissional. Porém, caso haja alguma lacuna a ser preenchida, um bom workshop, curso de extensão ou pós-graduação lato sensu pode auxiliar o profissional a desenvolve…

Como aumentar a sua capacidade de persuasão?

Oi! Tudo bem?
Semana passada, enfocamos o grupo de habilidades conceituais, pois ao desenvolver essas habilidades o profissional aprimora sua capacidade prospectiva, analítica e estratégica ao aprender a pensar de forma criativa e inovadora e, ao mesmo tempo compreender ideias abstratas e processos complicados.
Porém, para persuadir e influenciar os tomadores de decisão não basta possuir um rol de habilidades técnicas e conceituais bem desenvolvido. O grupo de habilidades humana é essencial para que o profissional de relações governamentais alcance o seu objetivo: influenciar. Para influenciar é preciso persuadir. Assim, qual seria o melhor caminho para aumentar a capacidade de persuasão?
Primeiramente, é preciso destruir um mito que já se encontra enraizado em nossas mentes. É comum ouvir pessoas dizendo que algumas habilidades, como por exemplo, comunicação, expressão e observação são inatas. Portanto, se você não consegue se comunicar com outros de maneira assertiva, jamais poderá apr…

Qual habilidade desenvolver para alcançar seus objetivos?

Como você bem sabe, o profissional de relações governamentais é o agente responsável por construir um relacionamento sólido e duradouro entre a organização que representa e o governo.
Aqueles que atuam na área, como você, reconhecem que o estabelecimento desse relacionamento é muito positivo, tanto para os tomadores de decisão quanto para os grupos de interesse. Reconhecem também que os grupos de interesse colaboram para com o processo decisório estatal ao levar aos tomadores de decisão informações que eles nem sempre possuem, o que os capacitam a tomar decisões mais equilibradas acerca de importantes questões que impactam a sociedade civil e o mercado.
Mas, você já parou para pensar sobre quais são as habilidades mais importantes para o exercício da sua atividade? O que garante que o tomador de decisão leve em consideração a informação que você fornece em detrimento da fornecida por outro grupo?
É certo que você precisa compreender profundamente questões técnicas que envolvem tanto a …