Pular para o conteúdo principal

FGV Management de São Paulo abre inscrições para o primeiro MBA em Relações Governamentais do Brasil

MBA em Economia e Gestão - Relações Governamentais SOBRE O MBA Com a crescente influência governamental nos mais diferentes mercados, as empresas estão reconhecendo a importância de aprimorar a atividade de Relações Governamentais como um dos principais instrumentos para a devida representação dos interesses do setor privado junto às diferentes esferas de Governo. Devido a esse fato, um grande número de profissionais tem se dedicado à atividade de Relações Governamentais, área que tem apresentado forte tendência de crescimento no Brasil contemporâneo. Esse novo cenário gera a demanda por profissionais altamente qualificados e bem treinados que tenham capacidade para monitorar e influenciar, idealmente de maneira proativa, as oportunidades e ameaças relacionadas ao ambiente externo da organização, seus principais parceiros econômicos, concorrentes, agências reguladoras, órgãos governamentais (nas três esferas - federal, estadual e municipal) e demais agentes externos. A FGV, como organização de ponta na geração de conhecimento correlatos aos novos temas do Management, lidera a iniciativa de ofertar, de forma inédita no país, o primeiro programa formatado exclusivamente para a profissionalização das atividades de representação dos interesses e relações do setor privado com os órgãos públicos. OBJETIVO Fornecer capacitação, em nível de pós-graduação, aos profissionais que pretendem atuar ou já atuam na área de Relações Governamentais. O curso visa a preparar ou a aprimorar o conhecimento desses profissionais para interagir com o Governo, a partir de um abrangente repertório de disciplinas teóricas e práticas. Ao final do curso o aluno deverá ser capaz de, por meio de um conjunto complementar de competências específicas, utilizar de forma estratégica a atividade de Relações Governamentais para contribuir de forma significativa para o atingimento dos objetivos e metas empresariais. PÚBLICO ALVO Profissionais que desejem ampliar os conhecimentos na área de Relações Governamentais como forma de maximizar o resultado da organização e sua sustentabilidade. O caráter interdisciplinar do curso contribuirá para a formação acadêmica de administradores, advogados, cientistas políticos, economistas, profissionais de comunicação social, relações internacionais, relações públicas e demais profissionais que já atuam na área de Relações Governamentais ou que nela desejem atuar. O curso destina-se também a gestores e demais executivos que busquem aperfeiçoar competências relacionadas à atividades desenvolvidas entre o setor privado e o Governo em todas as suas esferas. Todos devem possuir Graduação completa e ter no mínimo 03 anos de experiência profissional relevante. COORDENAÇÃO ACADÊMICA Andréa Cristina Oliveira Gozetto Doutora em Ciências Sociais pela Unicamp (2004) e mestre em Sociologia Política pela UNESP-Araraquara (1998). Cursa o pós-doutorado em Administração Pública e Governo pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas (FGV). É tutora de PBL da Escola de Economia de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas (FGV) e professora pesquisadora da Universidade Nove de Julho. É autora de diversos artigos sobre o lobbying no Brasil, como: Interest groups in Brazil: a new era and its challenges (2014), Lobby e Políticas Públicas no Brasil (2013), Lobby e Reforma Política (2012), Lobby: instrumento democrático de representação de interesses? (2011) e Estratégias de ação dos grupos de interesse empresariais e de trabalhadores no Legislativo federal brasileiro (2011). Administra o blog: www.lobbying.com.br Wagner Macedo Parente Filho Possui graduação em Direito pela Universidade da Amazônia, mestrado em Direito das Relações Econômicas Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e especialização em Gestão pela Fundação Instituto de Administração (FIA). É advogado e atua como Assessor de Relações Governamentais no Grupo Queiroz Galvão. Atuou como Gerente de Relações Institucionais da Oxiteno, foi membro da equipe de comércio internacional do escritório Felsberg e Advogados, participou do programa de treinamento da missão do Brasil para a OMC em Genebra e foi analista de relações exteriores da FIESP. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito do Comércio Internacional. É autor da obra: ‘A Atividade de Relações Institucionais no Brasil: Evolução Histórica, Legislação Aplicável e a Prática Empresarial’ (2014). Inscrições pelo link: http://mgm-saopaulo.fgv.br/cursos/relacoes-governamentais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quais habilidades o profissional de relações governamentais deve aprimorar para melhorar a sua performance?

Katz[1], classifica as habilidades necessárias a um profissional de gestão em três grupos principais: habilidade técnica, humana e conceitual. Essa tipologia nos será útil para entender quais desses grupos de habilidades são mais importantes para profissionais que, como você, exercem a atividade de relações governamentais. Vamos iniciar pelas habilidades técnicas, o grupo menos complexo, segundo Katz. Apesar de essenciais, as habilidades técnicas são menos complexas, pois podem ser desenvolvidas mais facilmente, bastando ao profissional adquirir conhecimentos, métodos e aprender a utilizar os equipamentos necessários para a realização de suas tarefas. Obter ou aprimorar conhecimentos sobre políticas públicas setoriais, processo decisório, processo legislativo, negociação e argumentação são um grande diferencial para esse profissional. Porém, caso haja alguma lacuna a ser preenchida, um bom workshop, curso de extensão ou pós-graduação lato sensu pode auxiliar o profissional a desenvolve…

Como aumentar a sua capacidade de persuasão?

Oi! Tudo bem?
Semana passada, enfocamos o grupo de habilidades conceituais, pois ao desenvolver essas habilidades o profissional aprimora sua capacidade prospectiva, analítica e estratégica ao aprender a pensar de forma criativa e inovadora e, ao mesmo tempo compreender ideias abstratas e processos complicados.
Porém, para persuadir e influenciar os tomadores de decisão não basta possuir um rol de habilidades técnicas e conceituais bem desenvolvido. O grupo de habilidades humana é essencial para que o profissional de relações governamentais alcance o seu objetivo: influenciar. Para influenciar é preciso persuadir. Assim, qual seria o melhor caminho para aumentar a capacidade de persuasão?
Primeiramente, é preciso destruir um mito que já se encontra enraizado em nossas mentes. É comum ouvir pessoas dizendo que algumas habilidades, como por exemplo, comunicação, expressão e observação são inatas. Portanto, se você não consegue se comunicar com outros de maneira assertiva, jamais poderá apr…

Qual habilidade desenvolver para alcançar seus objetivos?

Como você bem sabe, o profissional de relações governamentais é o agente responsável por construir um relacionamento sólido e duradouro entre a organização que representa e o governo.
Aqueles que atuam na área, como você, reconhecem que o estabelecimento desse relacionamento é muito positivo, tanto para os tomadores de decisão quanto para os grupos de interesse. Reconhecem também que os grupos de interesse colaboram para com o processo decisório estatal ao levar aos tomadores de decisão informações que eles nem sempre possuem, o que os capacitam a tomar decisões mais equilibradas acerca de importantes questões que impactam a sociedade civil e o mercado.
Mas, você já parou para pensar sobre quais são as habilidades mais importantes para o exercício da sua atividade? O que garante que o tomador de decisão leve em consideração a informação que você fornece em detrimento da fornecida por outro grupo?
É certo que você precisa compreender profundamente questões técnicas que envolvem tanto a …