Pular para o conteúdo principal

FGV Management de São Paulo abre inscrições para o primeiro MBA em Relações Governamentais do Brasil

MBA em Economia e Gestão - Relações Governamentais SOBRE O MBA Com a crescente influência governamental nos mais diferentes mercados, as empresas estão reconhecendo a importância de aprimorar a atividade de Relações Governamentais como um dos principais instrumentos para a devida representação dos interesses do setor privado junto às diferentes esferas de Governo. Devido a esse fato, um grande número de profissionais tem se dedicado à atividade de Relações Governamentais, área que tem apresentado forte tendência de crescimento no Brasil contemporâneo. Esse novo cenário gera a demanda por profissionais altamente qualificados e bem treinados que tenham capacidade para monitorar e influenciar, idealmente de maneira proativa, as oportunidades e ameaças relacionadas ao ambiente externo da organização, seus principais parceiros econômicos, concorrentes, agências reguladoras, órgãos governamentais (nas três esferas - federal, estadual e municipal) e demais agentes externos. A FGV, como organização de ponta na geração de conhecimento correlatos aos novos temas do Management, lidera a iniciativa de ofertar, de forma inédita no país, o primeiro programa formatado exclusivamente para a profissionalização das atividades de representação dos interesses e relações do setor privado com os órgãos públicos. OBJETIVO Fornecer capacitação, em nível de pós-graduação, aos profissionais que pretendem atuar ou já atuam na área de Relações Governamentais. O curso visa a preparar ou a aprimorar o conhecimento desses profissionais para interagir com o Governo, a partir de um abrangente repertório de disciplinas teóricas e práticas. Ao final do curso o aluno deverá ser capaz de, por meio de um conjunto complementar de competências específicas, utilizar de forma estratégica a atividade de Relações Governamentais para contribuir de forma significativa para o atingimento dos objetivos e metas empresariais. PÚBLICO ALVO Profissionais que desejem ampliar os conhecimentos na área de Relações Governamentais como forma de maximizar o resultado da organização e sua sustentabilidade. O caráter interdisciplinar do curso contribuirá para a formação acadêmica de administradores, advogados, cientistas políticos, economistas, profissionais de comunicação social, relações internacionais, relações públicas e demais profissionais que já atuam na área de Relações Governamentais ou que nela desejem atuar. O curso destina-se também a gestores e demais executivos que busquem aperfeiçoar competências relacionadas à atividades desenvolvidas entre o setor privado e o Governo em todas as suas esferas. Todos devem possuir Graduação completa e ter no mínimo 03 anos de experiência profissional relevante. COORDENAÇÃO ACADÊMICA Andréa Cristina Oliveira Gozetto Doutora em Ciências Sociais pela Unicamp (2004) e mestre em Sociologia Política pela UNESP-Araraquara (1998). Cursa o pós-doutorado em Administração Pública e Governo pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas (FGV). É tutora de PBL da Escola de Economia de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas (FGV) e professora pesquisadora da Universidade Nove de Julho. É autora de diversos artigos sobre o lobbying no Brasil, como: Interest groups in Brazil: a new era and its challenges (2014), Lobby e Políticas Públicas no Brasil (2013), Lobby e Reforma Política (2012), Lobby: instrumento democrático de representação de interesses? (2011) e Estratégias de ação dos grupos de interesse empresariais e de trabalhadores no Legislativo federal brasileiro (2011). Administra o blog: www.lobbying.com.br Wagner Macedo Parente Filho Possui graduação em Direito pela Universidade da Amazônia, mestrado em Direito das Relações Econômicas Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e especialização em Gestão pela Fundação Instituto de Administração (FIA). É advogado e atua como Assessor de Relações Governamentais no Grupo Queiroz Galvão. Atuou como Gerente de Relações Institucionais da Oxiteno, foi membro da equipe de comércio internacional do escritório Felsberg e Advogados, participou do programa de treinamento da missão do Brasil para a OMC em Genebra e foi analista de relações exteriores da FIESP. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito do Comércio Internacional. É autor da obra: ‘A Atividade de Relações Institucionais no Brasil: Evolução Histórica, Legislação Aplicável e a Prática Empresarial’ (2014). Inscrições pelo link: http://mgm-saopaulo.fgv.br/cursos/relacoes-governamentais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como aumentar a sua capacidade de persuasão?

Oi! Tudo bem?
Semana passada, enfocamos o grupo de habilidades conceituais, pois ao desenvolver essas habilidades o profissional aprimora sua capacidade prospectiva, analítica e estratégica ao aprender a pensar de forma criativa e inovadora e, ao mesmo tempo compreender ideias abstratas e processos complicados.
Porém, para persuadir e influenciar os tomadores de decisão não basta possuir um rol de habilidades técnicas e conceituais bem desenvolvido. O grupo de habilidades humana é essencial para que o profissional de relações governamentais alcance o seu objetivo: influenciar. Para influenciar é preciso persuadir. Assim, qual seria o melhor caminho para aumentar a capacidade de persuasão?
Primeiramente, é preciso destruir um mito que já se encontra enraizado em nossas mentes. É comum ouvir pessoas dizendo que algumas habilidades, como por exemplo, comunicação, expressão e observação são inatas. Portanto, se você não consegue se comunicar com outros de maneira assertiva, jamais poderá apr…

LOBBY INTERNACIONAL

Reportagem publicada no jornal inglês The Guardian no último domingo aponta que o ministro de comércio britânico teria feito lobby junto ao secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia do Brasil, Paulo Pedrosa, em favor das empresas BP, Shell e Premier Oil. A notícia veio à tona porque a ONG Greenpeace teve acesso a documentos oficiais do governo britânico, que agora está sendo acusado de agir para isentar impostos e flexibilizar licenças ambientais para a indústria de petróleo. Vale lembrar que Paulo Pedrosa é o grande articulador de projetos como a privatização da Eletrobras e ligado a grupos econômicos e fundos de investimentos que podem ser beneficiados com esses negócios (ler mais aqui). Em resposta à grave notícia, na última quarta-feira congressistas da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional -- Roberto Requião (PMDB-PR), Gleisi Hoffman (PT-PR), Humberto Costa (PT-PE) e Lindbergh Farias (PT-RJ), entre outros -- apresentaram uma denúncia à Procuradoria …

Reputação e Credenciais Acadêmicas

Durante a interessante apresentação dos resultados da 2ª fase da pesquisa sobre Reputação realizada pelo IrelGov (Instituto de Relações Governamentais) uma questão me inquietou.
Afinal, o que realmente pode contribuir para ajudar alguém a criar e manter uma boa reputação como profissional da área de Relações Governamentais? Fui buscar entender o que a teoria sobre reputação pessoal tem a nos dizer e veja só o que encontrei.
A teoria do Capital Humano defende que um indivíduo melhora sua reputação na medida em que adquire mais conhecimento, habilidades e credenciais acadêmicosem sua área de expertise. Sendo assim, seria interessante  sustentar sua reputação em  experiência empírica e, também, em títulos de especialização na área. 
O que estou querendo dizer é que além de se manter atualizado e em busca constante por conhecimento, certificações e diplomas específicos relacionados à área de atuação podem contribuir fortemente para elevar a reputação desses profissionais.
Fico extremamente fe…