Pular para o conteúdo principal

Quais habilidades o profissional de relações governamentais deve aprimorar para melhorar a sua performance?


Katz[1], classifica as habilidades necessárias a um profissional de gestão em três grupos principais: habilidade técnica, humana e conceitual.
Essa tipologia nos será útil para entender quais desses grupos de habilidades são mais importantes para profissionais que, como você, exercem a atividade de relações governamentais.
Vamos iniciar pelas habilidades técnicas, o grupo menos complexo, segundo Katz. Apesar de essenciais, as habilidades técnicas são menos complexas, pois podem ser desenvolvidas mais facilmente, bastando ao profissional adquirir conhecimentos, métodos e aprender a utilizar os equipamentos necessários para a realização de suas tarefas. Obter ou aprimorar conhecimentos sobre políticas públicas setoriais, processo decisório, processo legislativo, negociação e argumentação são um grande diferencial para esse profissional. Porém, caso haja alguma lacuna a ser preenchida, um bom workshop, curso de extensão ou pós-graduação lato sensu pode auxiliar o profissional a desenvolver plenamente esse grupo de habilidades.
Agora, vamos entender mais sobre o grupo mais complexo de habilidades. É importante frisar que, se você almeja atuar em nível gerencial, esse grupo de habilidades deve ser obrigatoriamente desenvolvido. Estamos nos referindo aqui à habilidade de formular estratégias voltadas aos objetivos da organização para gerar resultados eficazes e também à capacidade de construir uma visão sistêmica tanto sobre o setor de atuação da organização representada, quanto sobre o funcionamento do processo decisório estatal.
Como se vê, ao desenvolver esse grupo de habilidades, o profissional estará aprimorando sua capacidade prospectiva, analítica e estratégica. Para desenvolver essa habilidade o profissional precisa aprender a pensar de forma criativa e inovadora e, ao mesmo tempo compreender ideias abstratas e processos complicados. Apesar desse grupo de habilidades poder ser desenvolvido através da educação formal, algumas características pessoais do profissional podem ser um trunfo.
Levando em consideração que o produto que um profissional de relações governamentais entrega é sua capacidade de influenciar o tomador de decisão a partir do estabelecimento de um relacionamento sólido e duradouro, em que informações qualificadas serão trocadas, pense comigo: basta ser dotado de conhecimento técnico e de capacidade prospectiva, analítica e estratégica para ser um talentoso arquiteto de relacionamentos?
Na próxima coluna, vamos conhecer melhor a habilidade mais importante a ser desenvolvida por aqueles profissionais que desejam obter êxito em suas carreiras.
Até breve!

Andréa Gozetto
WhatsApp: (11) 98111-2451
e-mail: andrea@oficinarelgov.com.br




[1] KATZ, R. L. “Skills of an effective administrador.“ Harvard Business Review, jan.fev. 1955, pp. 33-42;

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como aumentar a sua capacidade de persuasão?

Oi! Tudo bem?
Semana passada, enfocamos o grupo de habilidades conceituais, pois ao desenvolver essas habilidades o profissional aprimora sua capacidade prospectiva, analítica e estratégica ao aprender a pensar de forma criativa e inovadora e, ao mesmo tempo compreender ideias abstratas e processos complicados.
Porém, para persuadir e influenciar os tomadores de decisão não basta possuir um rol de habilidades técnicas e conceituais bem desenvolvido. O grupo de habilidades humana é essencial para que o profissional de relações governamentais alcance o seu objetivo: influenciar. Para influenciar é preciso persuadir. Assim, qual seria o melhor caminho para aumentar a capacidade de persuasão?
Primeiramente, é preciso destruir um mito que já se encontra enraizado em nossas mentes. É comum ouvir pessoas dizendo que algumas habilidades, como por exemplo, comunicação, expressão e observação são inatas. Portanto, se você não consegue se comunicar com outros de maneira assertiva, jamais poderá apr…